French
Portuguese

2nd Sunday reflections- Desire Namuremye- Portuguesse

Pe. Desejo Yamuremye é diretor do Centro Cultural Loyola e Loyola Esperance Center (CEL) em Lome, Togo

  1. Introdução

Independentemente do ano litúrgico, o segundo domingo da Quaresma é sempre um domingo de transfiguração. Neste ano litúrgico C, o Evangelho faz-nos meditar na transfiguração segundo S. Lucas, enquanto o apóstolo Paulo nos mostra efetivamente que é Cristo quem nos transfigurará depois de termos feito uma aliança, uma adesão de Fé para com ele à maneira de Abraão, nosso pai.

  1. A nossa reflexão desejaria responder a três questões.

O que significou este mistério da transfiguração para os três apóstolos Pedro, Tiago e João? O que pode significar este mistério para nós, que vivemos hoje confrontados com fenómenos assustadores, como o HIV que nos pode tornar doentes de SIDA, por via de diversas doenças oportunistas que se aproveitam da fraqueza da nossa imunidade? Que deve fazer o povo de Deus transfigurado pelo batismo perante os infetados e afetados pelo HIV e aqueles e aquelas que estão já na fase da doença da SIDA?

  • Quanto aos três apóstolos, é bem evidente que eles não compreenderam naquele momento preciso o sentido e o significado da transfiguração. Recordemos que esta cena acontece depois de Pedro ter confessado que Jesus é o ‘Cristo’, o Filho do Deus Vivo, o Deus de Abraão. Mas, em resposta, Jesus aproveita para anunciar aos seus discípulos a sua morte e a sua ressurreição. E os discípulos compreenderão mais tarde o sentido deste acontecimento, aquando da ressurreição depois de uma morte atroz na Cruz. Sabemo-lo, é esta ressurreição que nos mergulha na virtude da Esperança.
  • Na nossa caminhada quotidiana, na nossa vida quotidiana, encontramo-nos perante obstáculos pessoais ou sociais que podem gerar em nós a dúvida e o desespero. Estas situações são em grande número, mas o HIV e a SIDA nos nossos países a sul do Saara continuam a estar na ordem do dia e desafiam a fé de inúmeras pessoas e famílias, apesar da evolução recente da consciencialização.
  • Ninguém pode negar que as boas políticas de saúde pública em matéria de prevenção e de sensibilização não sejam uma forma de transfiguração; mas, como os discípulos que não conseguem compreender, é sempre necessária uma dinâmica, é preciso manter sempre as nossas lâmpadas acesas para sermos solidários com os membros da família de Deus que se encontram em elevado risco de contágio, como é o caso, por exemplo, dos jovens. Deus conta com cada um e cada uma de nós para transfigurar os rostos e os corpos feridos pelas injustiças sociais, a discriminação e as violências cometidas contra as mulheres e as meninas.

Conclusão

É através do apelo à solidariedade, sobretudo com aqueles e aquelas que têm fome e sede de justiça, que Deus nos chama à santidade no mundo atual, como nos diz o Papa Francisco na sua exortação apostólica Gaudete et exsultate.